Semana #13: Tim-tim!

Dia 1° de abril completei 5 anos como licenciada em Letras! Com muita gratidão comemoro esse dia e as vitórias que tenho alcançado ao longo desses anos de atuação. Não me tornei uma professora, como imaginei que seria, mas explorei meus talentos e me desafiei (e continuo me desafiando) de muitas maneiras. As competências que desenvolvi, os olhares que refiz e as pessoas que conheci na graduação são certamente ingredientes fundamentais para a experiências que tenho tido.

Coincidentemente, nesse mesmo 1° de abril, há exatos 5 anos do dia em que joguei o capelo para cima, estou vivendo outro dia muito importante: começo em um novo desafio profissional, com um novo horizonte! E o mesmo discurso que escrevi e li na minha colação de grau ainda serve plenamente nesse momento. Por isso, resolvi compartilhá-lo com vocês. De novo, mas diferente! 😉

O discurso desta noite começa com o maior aprendizado de vida que a ciência da academia nos pode dar, o aprendizado de que a cada piscar dos nossos olhos o mundo se transforma a ponto de nos ser retirada a possibilidade de repetir uma sentença, uma ação, uma decisão! Podemos sim, falar de novo, fazer de novo, decidir de novo, mas nunca igual.
Cada segundo: um novo contexto.
Cada ouvinte: um outro indivíduo.
Cada palavra pronunciada: um novo tom, um novo tempo, uma nova perspectiva.
E tudo isso longe do domínio de nossas mãos.
Temos o hábito de nos colocar na vida como o administrador das circunstâncias, aquele que tem total domínio sobre tudo e todos. E a todo tempo o outro, nosso semelhante, nos coloca imediatamente diante da verdade oposta: são tantos a administrar esse tempo, esse mundo, essa história que ela anda assim, meio sem ninguém.
Diante disso tudo, o que significa estar aqui?
Por inúmeras vezes acreditamos que chegar ao final desta etapa acadêmica era concluir um ciclo, experimentar a segurança. Foi então que descobrimos que não. Chegar ao final não existe. Um ciclo novo se inicia sempre, o mesmo, mas irrepetível. A vida continua a esperar de cada um destes acadêmicos, futuros professores, mestres, doutores, e para lá disso tudo, de cada uma destas pessoas. A vida continua a esperar o que?
A vida continua a esperar uma nova resposta, uma nova ação, um novo jeito de ver o mundo. Porque não podemos parar, precisamos continuar mudando, fazendo diferente, junto com o tempo, em um novo contexto, junto com o outro. Precisamos estar atentos às oportunidades que se abrem diante de nossos olhos.
Hoje, para além do nosso meu muito obrigado ou daquele abraço apertado, nós queremos quero dizer: precisamos preciso de você! Foi pelo amor, carinho, paciência, ciência, discernimento e coragem de cada um que chegamos cheguei até aqui e será com essas mesmas qualidades que poderemos poderei seguir em frente como nos impõe essa vida, tão sábia, tão lúdica, tão desafiadora, mas infinitamente saborosa pois nos move e impulsiona dia a dia com seus novos sabores às cenas dos próximos irrepetíveis momentos.
O texto, este termina por aqui. A vida, os sonhos, o futuro é o que segue. Daqui para frente seremos mais uma vez só nós eu e vocês!
Muito obrigada.

Mudança de hábito

Ai, ai, ai! Essa história de mudar de hábito é realmente um desafio que vai de escolha em escolha, né? A adaptação com os novos sabores, as rotinas de compra dos legumes e verduras frescos, a manutenção dos horários corretos. Às vezes eu fico ansiosa para descobrir o dia que esse será o meu hábito novo! Quero que seja para ontem… Mas não é e não adianta. Exige muito esforço sim! Mas a recompensa é tão grande quanto o esforço empregado. Essa semana eu deixei minha ansiedade me atropelar, bebi menos água do que deveria, abandonei meu chazinho, o cafés da manhã foram sempre na corrida e sem criatividade e em muitos dias fiquei longos períodos sem comer. Essas coisas não afetaram tanto no meu peso, mas muito no meu bem estar. Tive dores de cabeça e enjoos em vários dias da semana, sem contar o cansaço. Na próxima semana farei questão de ter um café da manhã mais adequado e já vou fazer um plano alimentar com isso para não depender da minha criatividade matutina.

Vamos ver como eu vou me adaptar com a questão do almoço e jantar, já que estou em um novo ambiente de trabalho e tenho muuuuuitas novidades para absorver (sem contar a parte de vencer a minha vergonha!).

Quanto aos exercícios físicos, eu mantive minha regularidade. O horário da ginástica vai mudar para 7h30 nas quartas-feiras e eu não vou poder fazer, porque tenho que sair no máximo às 8h para chegar a tempo no trabalho. Vou tentar chegar ao parque no horário de sempre e fazer uma caminhada. Segue o peso e as medidas para você me acompanhar!

Peso (kg)

Barriga (cm) Cintura (cm) Bumbum (cm)

Braço (cm)

Semana #11

71,2

88,5 77,5 105,0

30,0

Semana #12

70,8

86,0 76,5 104,0

29,5

Semana #13

71,0

88,0 76,5 105,0

29,5

Beijinhos,

Luy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.