Tag: #quemnunca

Aside

Ser humano é tarefa mais difícil que se pensa.

Ser humano é suportar a batida do coração que acelera quando devia acalmar-se, que aperta quando você só pede um tempo para estar tranquilo e não pensar em nada, que se apaixona quando o desejo é estar sozinho.

Ser humano é ter o sangue nas veias.

Ser humano é ter responsabilidade. Mas também é aprender a suportar a falta de responsabilidade daqueles que ainda não entenderam nada sobre humanidade.

Ser humano é perder de vista as opções que o mundo te apresenta e permanecer indeciso porque nenhuma parece adequada o suficiente.

Ser humano é ser gordo, magro, alto, baixo, branco, negro, amarelo, moreno, loiro, ter pereba, unha encravada, ser modelo ou esquisito, ser adulto ou só não mais criança. É ser meio doidinho, fora do padrão, sonhador ou realista, doce e azedo, disciplinado ou um bagunceiro sem remédio.

Ser humano é ter enxaqueca, dor de barriga, sono, TPM, sono, TPM, sono, TPM, sono, TPM. É ser mulher e também é ser homem. É ser pai, mãe, filho, vizinho, cunhada ou papagaio. Ah, ser humano também é ser banguela!!! É ter do lado muitos dos mais queridos, mas se sentir sozinho. Ou não ter ninguém ao lado, mas estar completo.

Ser humano é ter projetos, mesmo que só por tê-los. É ser criado, criatura, criador. Afinal, ser humano é ter ideias.

Ser humano é fazer escolhas, mesmo que a sua razão não seja racional para mais ninguém.

Ser humano é muitas coisas. Mas o mais importante é que, naqueles dias em que ser humano é tarefa mais difícil do que parece possível de suportar, você deve aprender a apenas ser o que se é. Ser humano não tem erro!

E por que a promessa é de ano novo e não de ano-novo?

E aí, gente! Tudo certinho com vocês?  O blog acabou de dar as caras e eu já quero gerar polêmica! Mas se preparem, porque sempre que possível me envolverei em polêmicas linguísticas! Nesses nossos primeiros encontros, vamos nos conhecendo um pouco mais, né? Então, vou aproveitar esse primeiro post sobre os “senãos” da língua portuguesa para contar um pouco mais… Read more →